Temos independência editorial mas podemos receber comissões se você adquirir uma VPN usando nossos links.

Para que serve uma VPN?

Simon Migliano é um especialista em VPNs reconhecido mundialmente. Ele já testou centenas de serviços de VPN e suas pesquisas foram apresentadas na BBC, no New York Times e outros.

Verificado por Callum Tennent

As VPNs (redes virtuais privadas) escondem seu endereço IP e criptografam seu tráfego na Web. Elas servem principalmente para proteger a privacidade online, navegar com segurança em redes Wi-Fi públicas e acessar conteúdos de vídeo com restrições geográficas.

Para que servem as VPNs

No mundo todo, as redes virtuais privadas (VPNs) são usadas por vários motivos e para diversos propósitos.

Quase um terço dos usuários mundiais de internet usa VPNs para proteger a atividade deles na internet, incluindo para navegar na Web, baixar torrent e fazer compras online.

De acordo com a nossa pesquisa sobre o uso de VPNs, mais de 50% de todos os usuários as utilizam para proteger as transferências de dados pessoais nas redes Wi-Fi públicas.

Muitos usuários também querem navegar na internet anonimamente e pelo menos um terço usa VPNs para acessar conteúdos de vídeo e sites bloqueados em sua região.

Neste guia, vamos explicar exatamente para que serve uma VPN e por que são usadas.

No gráfico abaixo, são mostrados os motivos mais comuns para usar uma VPN:

Motivos para usar uma VPN

Dados extraídos do relatório global de uso de VPNs de 2020.

As estatísticas acima são sobre o uso de VPNs pessoais. No entanto, há vários tipos de VPN disponíveis, como VPNs empresariais e de acesso remoto.

Para que serve uma VPN?

Uma VPN tem dois propósitos principais: esconder o endereço IP e criptografar os dados de navegação na Web.

Essas duas funções oferecem inúmeras maneiras de melhorar a sua privacidade, segurança e liberdade na internet.

Para conhecer os aspectos técnicos das VPNs, leia nossa explicação de como funciona uma VPN.

Resumo: oito utilidades populares das VPNs

  1. Proteger a sua privacidade online. Com uma VPN, provedores de internet (ISPs), governos e sites não poderão monitorar você. Leia mais.
  2. Desbloquear conteúdos de streaming “ocultos”. Use VPNs para mascarar sua localização e acessar conteúdo de streaming de outros países. Leia mais.
  3. Manter a segurança em redes Wi-Fi públicas. A criptografia das VPNs impede que criminosos hackeiem você e roubem suas informações pessoais em redes Wi-Fi públicas. Leia mais.
  4. Contornar a censura do governo. Use uma VPN para desbloquear sites e acessar a internet livre em países com forte censura, como a China. Leia mais.
  5. Usar arquivos torrent com segurança. Proteja a sua atividade e oculte a sua identidade ao baixar e enviar arquivos torrent. Leia mais.
  6. Evitar a limitação da largura de banda. Use uma VPN para impedir que o seu provedor de internet reduza deliberadamente a sua conexão com a internet. Leia mais.
  7. Economizar em compras online. Você pode acessar preços regionais mais baratos em sites de e-commerce, como agências de viagens e companhias aéreas. Leia mais.
  8. Conectar-se com segurança ao escritório. Use uma VPN empresarial para criar uma conexão remota e segura com a rede interna do seu escritório. Leia mais.

Veja uma lista detalhada das utilidades de uma VPN:

1. Proteger a sua privacidade online

Sem uma VPN, o seu provedor de internet pode identificar todos os sites que você visita e é bem provável que registre essas informações.

Em alguns países, os provedores de internet são obrigados por lei a coletar e armazenar os dados de navegação por um longo período.

Os governos podem acessar essas informações sempre que desejarem. É o caso dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália e grande parte da Europa.

Muitas vezes, esses países também são membros de acordos internacionais, como a Aliança Cinco Olhos, que têm por objetivo coletar dados de vigilância em massa e compartilhá-los entre os integrantes.

Países da Aliança dos Cinco Olhos.

Quando você usa uma VPN, o seu tráfego na Web é criptografado no percurso do seu dispositivo até um servidor, o que dificulta que sites, governos e provedores de internet espionem sua atividade online.

Mesmo que alguém obtenha seus dados de navegação, as informações coletadas serão quase impossíveis de decodificar.

Uma VPN também altera seu endereço IP e o substitui por um endereço IP do servidor VPN. Você também pode proteger a atividade do seu celular da espionagem de terceiros.

Dessa maneira, os sites que você visita identificam o endereço IP do servidor VPN e, portanto, têm muito mais dificuldade para identificar você. Além disso, a VPN protege o seu endereço IP de outros possíveis riscos.

RESUMO: uma boa VPN oculta o seu endereço IP e o substitui por um anônimo, o que dificulta muito a sua identificação pelos sites.

Uma VPN também criptografa os seus dados de navegação, o que significa que o seu provedor de internet não conseguirá identificar os sites visitados por você.

2. Streaming de conteúdos de outros países

Serviços de streaming, como Netflix e Amazon Prime Video, têm catálogos de conteúdo que dependem da sua localização.

Ou seja, os filmes e programas de TV que você pode assistir dependem do país de onde você se conecta.

É aí que a VPN entra em ação.

Os sites de streaming usam o seu endereço IP para determinar sua localização física. Uma VPN mascara o seu endereço IP pessoal e o substitui por outro de um país da sua escolha.

Portanto, você pode “enganar” os sites de streaming para ter acesso a milhares de programas de TV bloqueados no seu país.

Alguns serviços de VPN oferecem até servidores exclusivos para cada plataforma de streaming.

Assista à Netflix EUA em outro país

Se você se conectar a um servidor VPN nos Estados Unidos, por exemplo, poderá acessar o catálogo da Netflix americana, que tem muito mais filmes e programas de TV do que qualquer outro país.

Encontrar uma VPN que desbloqueie várias plataformas de streaming pode ser difícil. Por sorte, nossa lista de melhores VPNs para streaming é um ótimo ponto de partida para encontrar VPNs que contornam facilmente as restrições geográficas de streaming.

RESUMO: uma VPN pode ser usada para esconder o seu endereço IP público e substituí-lo por um endereço IP de um país da sua escolha. Ou seja, você pode usar uma VPN para contornar restrições geográficas e desbloquear conteúdo de streaming “oculto” em sites como Netflix, Amazon Prime Video e BBC iPlayer.

3. Manter a segurança em redes Wi-Fi públicas

Explorar redes Wi-Fi públicas para coletar dados é simples e incrivelmente barato. Criminosos podem aproveitar as redes abertas e não criptografadas para roubar dados importantes, como dados bancários, cartões de crédito, fotos e outras informações pessoais.

Ao usar a conexão de rede Wi-Fi pública em uma cafeteria, hotel ou aeroporto, você coloca seus dados pessoais sensíveis em risco.

Os hackers estão se focando cada vez mais em hotéis e shoppings para achar alvos valiosos. O que facilita ainda mais esses crimes é o valor extremamente baixo dos equipamentos que permitem que praticamente qualquer um explore redes Wi-Fi públicas. Eles podem ser comprados por menos de $99.

Com uma VPN você pode se proteger desse tipo de ameaça. Ela criptografa seu tráfego na internet e torna quase impossível para hackers decifrarem e explorarem os seus dados.

Por esse motivo, uma VPN é uma ferramenta inestimável para viajantes frequentes que usam regularmente redes Wi-Fi abertas.

Redes domésticas desprotegidas também oferecem riscos. Com o trabalho remoto se popularizando, criminosos voltaram a atenção para redes domésticas vulneráveis, em uma prática conhecida como Wardriving.

RESUMO: as VPNs criptografam todo o tráfego que sai do seu dispositivo. Portanto, você pode usar uma VPN para proteger seus dados sensíveis nas redes Wi-Fi desprotegidas. Se um invasor interceptar sua conexão, ele verá apenas sequências de letras e números ininteligíveis.

4. Desbloquear sites e evitar a censura do governo

Governos autoritários do mundo todo bloqueiam certos sites para limitar o acesso dos seus cidadãos a informações.

Em nossa pesquisa mais recente comprovamos que esse tipo de “desligamento da internet” intencional custou à economia mundial até R$ 19,97 bilhões somente em 2020.

A China, por exemplo, usa seu infame “Grande Firewall” para impedir o acesso a sites populares, como Google, Facebook e YouTube.

Em momentos de turbulência política, outros países, como Argélia, Índia e Chade, também bloquearam o acesso às redes sociais e aos aplicativos de mensagens, como WhatsApp e Twitter.

Cidadãos (e turistas) em países afetados pela censura da internet podem usar uma VPN para contornar bloqueios de sites e acessar a internet global.

Isso porque uma VPN criptografa o tráfego e mascara o endereço IP, ocultando sua identidade e atividade dos censores da internet.

Alguns serviços de VPN também oferecem uma tecnologia de ofuscação, que ajuda a driblar sistemas mais sofisticados de censura. A ofuscação disfarça o tráfego VPN, fazendo com que pareçam dados de navegação normais.

Se tiver interesse em VPNs que podem efetivamente contornar a censura, confira a nossa lista das melhores VPNs por categoria.

Para jornalistas, ativistas e whistleblowers, as VPNs são um recurso vital para se manifestar com segurança contra governos que limitam a liberdade de expressão e de imprensa.

Para pessoas comuns que vivem sob censura, as VPNs também podem ser um recurso essencial para acessar informações e serviços que, de outra forma, estariam bloqueados.

RESUMO: alguns governos monitoram o uso da internet e bloqueiam o acesso a determinados sites. Uma VPN criptografa sua conexão e mascara seu endereço IP, permitindo desbloquear sites e acessar a internet global sem detecção pelos censores do governo.

5. Usar arquivos torrent com segurança

Usar programas de torrent como uTorrent ou BitTorrent pode ser arriscado. Seu endereço IP pode ser visto por outros usuários no “enxame”(swarm) e o seu provedor de internet pode identificar a propagação e o download dos arquivos.

Sem uma VPN, seu endereço IP (e, portanto, sua identidade) fica visível a outros usuários, proprietários de conteúdo e copyright trolls (trolls de direitos autorais). O seu provedor de internet também pode identificar sua atividade e trabalhar com autoridades para emitir avisos legais por violação de direitos autorais.

Na maioria dos países, usuários flagrados baixando material protegido por direitos autorais podem ficar sujeitos a multas ou até prisão.

Empresas de mídia poderosas também monitoram o tráfego P2P para coletar os endereços IP de usuários de torrent. Elas então pagam empresas de advocacia, chamadas “copyright trolls”, para encontrar e processar usuários.

Somos contra o download de materiais protegidos por direitos autorais, mas caso você use o torrent para arquivos legais, uma VPN é vital para criptografar sua atividade P2P e mantê-la protegida de olhares indiscretos.

Algumas VPNs são melhores para baixar torrent do que outras. Veja aqui uma lista atualizada de VPNs para torrent.

RESUMO: as VPNs protegem sua identidade e atividade enquanto baixa torrent, criptografando seu tráfego P2P e mascarando seu endereço IP público, o que impede que seu provedor de internet, detentores de direitos autorais e outros usuários espionem sua atividade.

6. Evitar a limitação da largura de banda

Já explicamos que é bem provável que o seu provedor de internet esteja monitorando sua atividade online.

Se você mora em um país sem leis robustas de neutralidade da rede, o seu provedor também pode reduzir de forma intencional a sua conexão com a internet, uma prática chamada de limitação da largura de banda.

Geralmente, os provedores limitam a sua conexão com a internet durante atividades que consomem muita largura de banda, como download de arquivos grandes, streaming ou baixar torrent.

Em regra, a limitação da largura de banda é usada para minimizar o congestionamento da rede e ajudar a regular o tráfego em horários de pico. No entanto, alguns provedores de internet também foram acusados de limitar as velocidades de conexão apenas por interesses comerciais.

A criptografia da VPN pode evitar que os provedores limitem sua conexão, pois os impede de identificar as suas atividades.

Sem acesso à sua atividade na internet, é muito mais difícil para o provedor saber quando diminuir a velocidade da sua conexão. Sendo assim, você pode desfrutar de velocidades mais rápidas e estáveis para baixar arquivos, jogos e streaming.

RESUMO: alguns provedores reduzem deliberadamente a velocidade da sua conexão com a internet para evitar congestionamento na rede. É possível usar uma VPN para criptografar sua atividade de navegação, impedindo o provedor de reduzir a velocidade da internet com base nos sites visitados por você.

7. Economizar em compras online

Sites de e-commerce, como agências de viagens, locadoras de carros e companhias aéreas, costumam usar o seu endereço IP para determinar a sua localização. Depois de identificá-la, eles podem alterar as tarifas com base nessa informação.

Por exemplo, um voo para um cliente nos Estados Unidos pode ser mais caro do que o mesmo voo para um cliente na Índia.

Sites do gênero também costumam usar cookies e scripts de rastreamento para direcionar você para anúncios específicos.

As empresas então usam as informações de rastreamento para manipular o preço dos produtos anunciados. Quanto mais interessado um cliente potencial pareça estar em um produto, maior será seu preço.

Você pode usar uma VPN para evitar esse tipo de publicidade direcionada e manipulação de preços.

Ao esconder o seu endereço IP e mascarar a sua localização, você pode “enganar” um site para ter acesso a preços mais baixos com base no país de onde estiver comprando.

Além de ajudar você a conseguir preços melhores, uma VPN também serve para fazer compras online com segurança.

No geral, as transações de compras incluem informações sigilosas, como nome, endereço e dados bancários, que a criptografia da VPN pode ajudar a proteger.

RESUMO: lojas online podem usar o seu endereço IP e a publicidade direcionada para alterar o preço dos produtos com base na sua localização. Além de proteger os seus dados de pagamento, uma VPN pode ser usada para mascarar a sua localização e encontrar os menores preços disponíveis.

8. Conectar-se à rede de um escritório

Há diversos tipos de VPN. O primeiro protocolo VPN é o PPTP (tunelamento ponto a ponto) que foi desenvolvido para ajudar as pessoas a trabalharem em casa com segurança e eficiência.

Hoje em dia, as VPNs são usadas para muito mais do que apenas o trabalho remoto. No entanto, algumas VPNs ainda são desenvolvidas especificamente para ajudar você a se conectar com segurança à rede interna de uma empresa.

O tipo de VPN em que focamos neste guia e nas nossas avaliações de VPN é a “VPN de consumidor”. Elas conectam o seu dispositivo a um servidor da própria empresa de VPN, permitindo que você navegue na internet pública com todos os benefícios mencionados anteriormente.

O tipo de VPN que a sua empresa usa para o trabalho remoto é a “VPN empresarial”. Esses serviços conectam usuários autorizados a um servidor compartilhado em um determinado local, geralmente um escritório ou sede.

VPNs empresariais oferecem aos funcionários acesso seguro a aplicativos e arquivos disponíveis apenas na rede interna do escritório.

O objetivo dessa VPN é impedir que dados corporativos confidenciais sejam enviados sem proteção pela Web “aberta”.

RESUMO: existem vários tipos de VPN. Você pode usar uma “VPN empresarial” para conectar seu dispositivo diretamente à rede interna da empresa, oferecendo acesso seguro a arquivos e aplicativos que estão disponíveis apenas para usuários autorizados.

Que tipo de proteção a VPN não oferece?

Com uma VPN a sua atividade online fica muito mais protegida do que quando você usa a internet sem ela. No entanto, uma VPN não garante um anonimato total.

Criptografar os seus dados e ocultar o seu endereço IP é um ótimo começo, mas o seu IP é apenas uma maneira de identificar você online.

Uma VPN não protege você de:

  • Cookies e rastreadores. Cookies e rastreadores da Web são arquivos pequenos usados por sites e anunciantes para personalizar os serviços para usuários específicos. Eles armazenam informações (como seu nome, sexo, localização e, às vezes, hábitos de navegação) que podem ser usadas para identificar você, até mesmo se usa uma VPN.
  • Impressão digital de navegador. O seu dispositivo fornece aos sites visitados por você informações detalhadas sobre o seu sistema operacional, navegador e hardware. Todas essas informações formam uma “impressão digital” única que pode ser usada para rastrear e identificar você.
  • Vazamentos de IP, DNS e WebRTC. Uma VPN de baixa qualidade pode expor a sua identidade vazando informações, como o seu endereço IP real ou solicitações de DNS. Você pode investigar esse tipo de vulnerabilidade usando o nosso teste de vazamento de VPN.
  • Impressão digital de tráfego. Quando você usa uma VPN, seu provedor de internet ainda vê que há dados trafegando entre o seu dispositivo e um servidor VPN. Ele só não consegue identificar o conteúdo ou o destino desses dados. Às vezes, é possível descobrir o tipo de dado que está sendo transmitido (por exemplo, navegação na Web, streaming, P2P) ao analisar o tempo e a densidade da transmissão, o que é conhecido como “impressão digital de tráfego”.
  • Contas de redes sociais. Se você estiver conectado a contas pessoais, como Facebook e Google, ao navegar na internet, mesmo que esteja usando uma VPN, essas empresas conseguem monitorar a sua atividade e vinculá-la ao endereço IP do seu servidor VPN.

A rede Tor tem diferenças significativas com relação às VPNs, mas nem todas são positivas.